Programa «Paysage d’Ici et d’Ailleurs” – Paisagens da Madeira

O Canal franco-alemão ARTE-TV, realizou um programa «Paysage d’Ici et d’Ailleur” sobre paisagens da ilha da Madeira, no participei com muito gosto para falar nas minhas/nossas levadas, objecto de estudo das minhas teses de mestrado e de doutoramento.

Mais informações aqui.

Anúncios

Dois terrenos, duas fotos

Os meus terrenos sempre se situaram na mesma área geográfica (a ilha da Madeira) por várias razões. Uma delas prende-se com o fascínio em ‘exercer’ uma ‘Antropologia em casa’. Eu gosto de viajar em terrenos tão distantes e familiares em simultâneo.

Em ambos os terrenos e, no decurso do trabalho de campo, os registos visuais desempenharam um auxilio valioso no registo de momentos, espaços, culturas materiais, patrimónios, pessoas, etc. Perdi a conta às inúmeras fotografias tiradas quer entre 2004-2005 quer entre 2008-2010.

Foi-me solicitado no âmbito de uma Mostra Fotográfica a escolha de fotografias que de alguma forma fossem representativas dos meus terrenos. A escolha não foi fácil, pois de entre centenas há que fazer uma selecção criteriosa.
 Ficam aqui duas de cinco.

1) Há muitas histórias para contar sobre a mesma. Assim à primeira vista pode parecer algo desinteressante mas, e se eu vos disser que esta foto representa parte de uma longa narrativa associada à ‘Luta da Água’ que ocorreu na Madeira na década de 60. Que o canal mais largo pertence ao estado e que o canal mais pequeno foi construido por uma comissão de heréus (regantes) com o objectivo de transportar a sua água. Há tanto, tanto para contar…

 Imagem

2) A foto que se segue pertence ao meu 2º terreno situado na mesma área geográfica. Se antes a memória da água foi rainha, se analisei conflitos e práticas diárias de uma comunidade de regantes, no segundo momento debruçar-me-ia sobre a patrimonialização das levadas. Sobre isto há muito para falar. A tese de Doutoramento é apenas mais um exemplo.
(sobre a Foto: Levada do Rei, Madeira Walking Festival, janeiro de 2010).

Imagem

 

Novo artigo em produção…

Os últimos dias têm sido dedicados à redacção/produção de um novo artigo.

Eis o resumo:

“Com este trabalho pretende-se revelar o peso da actividade turística na ilha da Madeira, enfatizando as diferenças existentes entre a costa norte e a costa sul. Com uma secular tradição no sector turístico, a ilha da Madeira revela estratégias de desenvolvimento turístico de diversos destinos (internos) e produtos emergentes. É o caso da ‘Costa da Laurissilva’, que está a ser alvo de uma promoção e desenvolvimentos diferenciados por parte de alguns municípios, é rico em discursos patrimoniais em torno da paisagem cultural associada à agricultura, práticas de regadio e à floresta Laurissilva (Património Mundial da UNESCO). Procurar-se-á, por um lado, caracterizar as tendências do mercado turístico regional, e por outro, mostrar as estratégias concernentes à oferta turística, com a procura e captação de um turismo responsável e sustentado, realçando a (ir) responsabilidade patente no sistema turístico regional”.

 


 

 

Alerta aos caminhantes: Levadas e veredas da ilha da Madeira

A  Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, em comunicado  de 23 de Maio de 2013, vem informar que os seguintes circuitos pedestres estão temporariamente encerrados:

Madeira:

• PR3 – Vereda do Burro (Pico do Areeiro – Ribeira das Cales) – NOVO;

• PR3.1 – Caminho Real do Monte (Ribeira das Cales – Monte) – NOVO;

• PR4 – Levada do Barreiro (Poço da Neve – Casa do Barreiro) – NOVO;

• PR 14 – Levada dos Cedros ( Fanal – Curral Falso);

Encontram-se em boas condições os seguintes percursos pedestres:

Madeira: • PR 1 – Vereda do Areeiro (Pico do Areeiro – Pico Ruivo); 

• PR 1.1 – Vereda da Ilha (Pico Ruivo – Ilha); 

• PR 1.2 – Vereda do Pico Ruivo (Achada do Teixeira – Pico Ruivo); 

• PR 1.3 – Vereda da Encumeada (Pico Ruivo – Encumeada);

• PR 2 – Vereda do Urzal (Curral das Freiras – Boaventura) – NOVO;

• PR5 – Vereda das Funduras (Portela – Maroços); 

• PR 6 – Levada das 25 Fontes (Rabaçal – 25 Fontes);

• PR6.1 – Levada do Risco (Rabaçal – Risco);

• PR 7 – Levada do Moinho (Ribeira da Cruz – Lamaceiros);

• PR 8 – Vereda da Ponta de São Lourenço (Baia d´Abra – Cais do Sardinha); 

• PR 9 – Levada do Caldeirão Verde (Queimadas – Caldeirão Verde- Caldeirão do Inferno);

• PR 10 – Levada do Furado (Ribeiro Frio – Portela); 

• PR 11 – Levada dos Balcões (Ribeiro Frio – Balcões); 

• PR 12 Caminho Real da Encumeada (Boca da Corrida – Encumeada);

• PR 13 – Vereda do Fanal (Assobiadores – Fanal);

• PR 15 – Vereda da Ribeira da Janela (Curral Falso – Ribeira da Janela);

• PR 16 –  Levada Fajã do Rodrigues(Fajã da Amã – Ribeira da Janela);

• PR 17 – Caminho do Pináculo e Folhadal (Lombo do Mouro e Caramujo);

• PR 18 – Levada do Rei (Quebradas – Ribeiro Bonito);

• PR19 – Vereda do Paul do Mar (Prazeres – Paul do Mar;

• PR 20 – Vereda do Jardim do Mar (Prazeres – Jardim do Mar) – NOVO;

• PR 21 – Caminho do Norte  (Encumeada – Ribeira Grande) – NOVO; 

• PR 22 – Vereda do Chão dos Louros (Pico do Areeiro – Ribeira das Cales) – NOVO; 

• PR 23 – Levada da Azenha  (Azenha – Caminho Velho do Castelo) – NOVO; 

• Um percurso para todos (Queimadas – Pico das Pedras);

 

Mais informações disponíveis aqui.

Turismo nos espaços naturais

Hoje reflicto sobre o turismo nos espaços naturais e a sua relevância como produto estratégico.

O desenvolvimento do turismo em áreas adjacentes às áreas naturais protegidas assumem diferentes formas em várias partes do globo. Higham e Vistad (2011) mencionam que o desenvolvimento do turismo associado à protecção das áreas naturais é considerado uma forma de gerar receitas, de criação de emprego e, ainda, uma forma de promover oportunidades de desenvolvimento económico para comunidades periféricas.

Mas o que significa o turismo nos espaços naturais? Como se conceptualiza? Que importância assume dentro da Plano Estratégico Nacional para o Turismo? Quais os factores de competitividade? Existirão oportunidades de desenvolvimento e desafios?

Novo alerta aos caminhantes – ilha da Madeira

 

A Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais por intermédio de comunicado de 13 de Novembro de 2012, informa que estão encerrados na ilha da Madeira os seguintes circuitos pedestres:

• PR 1 – Vereda do Areeiro (Pico do Areeiro – Pico Ruivo) –  em alternativa, o percurso entre o Pico do Areeiro e a Achada do Teixeira pode realizar-se através do túnel existente nas zona das “Torres”;

• PR3 – Vereda do Burro (Pico do Areeiro – Ribeira das Cales); • PR3.1 – Caminho Real do Monte (Ribeira das Cales – Monte);

• PR4 -Levada do Barreiro (Poço da Neve – Casa do Barreiro);

• PR 14 – Levada dos Cedros ( Fanal – Curral Falso);

• PR 17 – Caminho do Pináculo e Folhadal -(Lombo do Mouro e Caramujo)- permanece  encerrado os troços compreendidos entre o Lombo do Mouro e o Caramujo e entre a Bica da Cana;

 

Para mais informações consultar o site da DRT aqui.

Novo alerta aos caminhantes: ilha da Madeira


Uma vez mais partilho a informação publicitada no Site do Turismo da Madeira sobre as condições existentes nos trilhos pedestres regionais.

A Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, informa por intermédio de um comunicado datado de 05 de Novembro de 2012 que os seguintes circuitos pedestres estão temporariamente encerrados:

Madeira:

• PR3 – Vereda do Burro (Pico do Areeiro – Ribeira das Cales)
• PR3.1 – Caminho Real do Monte (Ribeira das Cales – Monte)
• PR4 -Levada do Barreiro (Poço da Neve – Casa do Barreiro)
• PR 17 – Caminho do Pináculo e Folhadal (Lombo do Mouro – Caramujo – Folhadal – Encumeada).

Porto Santo:

• Vereda do Calhau (Fonte da Areia – Calhau)

Encontram-se em boas condições os seguintes percursos pedestres:

Madeira:

• PR 1 – Vereda do Areeiro (Pico do Areeiro – Pico Ruivo);
• PR 1.1 – Vereda da Ilha (Pico Ruivo – Ilha);
• PR 1.2 – Vereda do Pico Ruivo (Achada do Teixeira – Pico Ruivo);
• PR 1.3 – Vereda da Encumeada (Pico Ruivo – Encumeada);
• PR2 – Vereda do Urzal (Curral das Freiras – Boaventura) – NOVO;
• PR5 – Vereda das Funduras (Portela – Maroços);
• PR 6 – Levada das 25 Fontes (Rabaçal – 25 Fontes);
• PR6.1 – Levada do Risco (Rabaçal – Risco) – NOVO;
• PR 7 – Levada do Moinho (Ribeira da Cruz – Lamaceiros);
• PR 8 – Vereda da Ponta de São Lourenço (Baia d´Abra – Cais do Sardinha);
• PR 9 – Levada do Caldeirão Verde (Queimadas – Caldeirão Verde- Caldeirão do Inferno)
• PR 10 – Levada do Furado (Ribeiro Frio – Portela);
• PR 11 – Levada dos Balcões (Ribeiro Frio – Balcões);
• PR 12 Caminho Real da Encumeada (Boca da Corrida – Encumeada);
• PR 13 – Vereda do Fanal (Assobiadores – Fanal);
• PR 14 – Levada dos Cedros ( Fanal – Curral Falso);
• PR 15 – Vereda da Ribeira da Janela (Curral Falso – Ribeira da Janela);
• PR 18 – Levada do Rei (Quebradas – Ribeiro Bonito);
• PR19 – Vereda do Paul do Mar (Prazeres – Paul do Mar);
• PR 20 – Vereda do Jardim do Mar (Prazeres – Jardim do Mar);
• Um percurso para todos: Queimadas – Pico das Pedras;
• PR 21 – Caminho do Norte (Encumeada – Ribeira Grande – NOVO;
• PR 22 – Vereda do Chão dos Louros (Pico do Areeiro – Ribeira das Cales) – NOVO;
• PR 23 – Levada da Azenha (Azenha – Caminho Velho do Castelo) – NOVO;

Porto Santo:

• PR 1 – Vereda do Pico Branco e Terra Chã (ER 111 – Terra Chã);
• PR 2 – Vereda do Pico do Castelo (Moledo – Pico do Castelo);

Para mais informações consultem o site oficial do Turismo da Madeira.